Em meio a tantas moedas digitais, o investidor iniciante em altcoins pode se sentir perdido ao decidir em quais delas vale a pena depositar a sua confiança e dinheiro. Para você ter uma ideia, existem mais de 700 altcoins no mercado! E este número só tende a crescer.

No entanto, é necessário que você saiba diferenciar as altcoins legítimas daquelas que não passam de uma fraude. Afinal, algumas dessas moedas são projetadas com o único fim de levantar dinheiro para os seus desenvolvedores.

Confira aqui uma lista com as criptomoedas suspeitas ou comprovadas de se tratarem de scam.

Neste guia, você irá aprender a distinguir as altcoins confiáveis das altcoins suspeitas de serem apenas mais um golpe de um desenvolvedor agindo de má-fé.

1# Pré-mineração sem justificativa

Esta é a tática mais empregada em scamcoins. Pré-mineraçao, ou premining, consiste em minerar uma grande quantidade de uma moeda antes do seu lançamento e divulgação no mercado. O criador da criptomoeda fica no controle dessas moedas pré-mineradas, pronto para despejá-las no mercado quando o preço dela atingir uma marca satisfatória.

Exemplos

Zenithcoin: 50% da recompensa dos blocos minerados foram parar nas mãos do desenvolvedor, sem nenhuma explicação satisfatória.
Phenixcoin: Pré-mineração intensa sem nenhuma explicação razoável.

2# Número desproporcional de moedas geradas no lançamento

Esta prática também é conhecida como instamining. A tática se tornou popular a partir do momento em que os investidores começaram a desconfiar de moedas com fase de pré-mineração.
Neste caso, a moeda é lançada com parâmetros de mineração que permitem ao desenvolvedor minerar uma grande soma de moedas assim que a moeda chega ao mercado, antes que outras pessoas consigam configurar as suas próprias estações de mineração.

Exemplos

Goldcoin: Quantidade enorme de moedas mineradas durante as primeiras horas depois do lançamento.
Feathercoin: 3 milhões de moedas mineradas durante as primeiras 24 horas.

3# Aplicativo da moeda não funciona corretamente

O que poderia ser considerado como incompetência dos desenvolvedores, muitas vezes se trata de uma tentativa de golpe.
Consiste no seguinte: uma criptomoeda é lançada, porém o seu cliente não é divulgado, o link para acessá-lo quebrado ou o aplicativo não funciona corretamente.

Exemplo

Mincoin: Desenvolvedores demoraram semanas para providenciarem um cliente de mineração.

4# Lançamento inicial em uma plataforma pouco conhecida

A tática usada aqui consiste em realizar o lançamento da moeda em um site obscuro, minerá-la por alguns dias e só então divulgar o lançamento em uma plataforma reconhecida, como a BitcoinTalk. É uma tentativa clara de mascarar um sistema de pré-mineração.

5# Apresentação

Este é um forte indicador sobre a capacidade de popularização de uma moeda. O nome e o logo de uma criptomoeda são determinantes para a sua aceitação no mercado, e quando mal escolhidos, comprometem o seu futuro desde o início.

Exemplo

Junkcoin: O nome da moeda fala por si mesmo.

6# Incompetência dos desenvolvedores

Uma das melhores formas de se identificar uma scamcoin é investigar os desenvolvedores por trás dela. Faça as seguintes perguntas a si mesmo:
O desenvolvedor é ativo na comunidade? Ele parece entender com profundidade o funcionamento do protocolo do Bitcoin? As metas para a moeda que ele desenvolveu são realistas?
Se você responder não a pelo menos uma dessas perguntas, é um bom motivo para desconfiar.

Exemplo

Fastcoin: Promessas feitas são insustentáveis.

7# Ausência de uma comunidade

Este é um dos aspectos determinantes para o sucesso ou fracasso de uma moeda. Após o lançamento, depois de algum tempo já deve existir um círculo de pessoas apoiando a criptomoeda. Moedas que não possuem uma comunidade relevante algumas semanas depois do lançamento nem devem ser consideradas como um investimento.

Comentários do Facebook

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome