O preço do Bitcoin voltou a superar os US$ 9 mil após discussões “produtivas” sobre a criptomoeda em uma reunião do G-20 que reuniu ministros de finanças e governadores de bancos centrais em Buenos Aires, Argentina, nessa terça-feira.

Nas palavras do governador do Banco Central da Argentina, Federico Sturzenegger:

O espírito da discussão foi muito produtivo, e eu concordo que todos saíram muito satisfeitos. Foi uma reunião muito boa.

O Bitcoin subiu mais de 4,5% voltando à casa dos US$ 9.000 pela primeira vez na última semana, um aumento de 22,8% em relação a um mínimo de US$ 7.335,57 no final de semana.

O líder do banco central da Itália deu um passo adiante e disse a repórteres após o encontro que as criptomoedas representam riscos, mas não devem ser completamente proibidas, segundo a Reuters.

“Meu entendimento é que houve uma aceitação em continuar a trabalhar também no lado da estabilidade com a ideia de que isso não implica proibição”, disse aos repórteres Ignazio Visco, diretor do Banco da Itália.

As discussões dentro da sala “dedicaram muito tempo” aos ativos digitas, e o grupo concordou que a regulamentação precisa acompanhar o ritmo acelerado da tecnologia, ponderou Sturzenegger.

O banqueiro central argentino definiu um prazo de verão para os membros do G-20 trazerem “recomendações específicas sobre o que deve ser feito” e disse que a força-tarefa está trabalhando para apresentar as propostas até julho.

Sturzenegger descreveu uma pesquisa anônima realizada na sala no início da reunião de ministros das Finanças, perguntando se os ativos digitais deveriam ou não ser incluídos nas discussões multilaterais.

Os resultados mostraram “um apoio muito forte à inclusão do tópico nas negociações multilaterais”, disse Sturzenegger, especialmente por causa de seu potencial como “canal para o financiamento do terrorismo e lavagem de dinheiro”.

A questão da lavagem de dinheiro levantou bandeiras para outros reguladores globais.

O secretário do Tesouro dos EUA, Steven Mnuchin, disse em uma audiência perante o Comitê Bancário do Senado no final de janeiro que o departamento está dando uma atenção especial ao uso de criptomoedas por criminosos.

“Eu quero ter certeza de que estas não sejam usadas ​​por vilões, que elas não se transformem em uma espécie de bancos suíços”, disse Mnuchin, acrescentando que o departamento quer “garantir que os consumidores entendam os riscos relacionados às criptomoedas.

O ex-executivo da Goldman Sachs apontou as falhas da legislação atual à CNBC em Davos:

Nos EUA, nossas regulações atuais afirmam que, se você possui uma carteira de bitcoins, está sujeito aos mesmos regulamentos que um banco.

O preço do Bitcoin começou a se recuperar após um anúncio feito pela Financial Stability Board no domingo. A agência de vigilância global adotou um tom cauteloso em uma carta aos membros do G-20 neste domingo e disse que “os ativos digitais não representam riscos para a estabilidade financeira global neste momento”.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome