Muito tem se especulado sobre como a tecnologia da blockchain impactará no mundo dos negócios. O clima de otimismo em torno das criptomoedas é claro, e cada vez mais investidores manifestam interesse por esse mercado. No entanto, até o momento existem poucas criptomoedas alternativas (altcoins) que oferecem uma proposta diferente do bitcoin.m

O bitcoin tem cada vez mais apelado aos investidores com tolerância para mercados de risco. Embora citado muitas vezes como sendo um mercado muito volátil, o bitcoin ainda se mantém como uma das moedas digitais mais estáveis.

Nesse sentido, o ether (ETH), uma criptomoeda associada à plataforma Ethereum, surge como uma opção para investidores mais aventureiros. O volume de ether transacionado no mercado vem aumentando a saltos largos. De janeiro até junho desse ano, o ether mais do que triplicou de valor. A notícia da inclusão do ether em exchanges como a Okcoin, maior mercado online de criptomoedas, contribui bastante para o clima de otimismo em torno do ether.

Preço do Ether
Figura 1 – Preço do Ether durante a primeira metade de 2016

Diferente do bitcoin, o ether não foi projetado com a finalidade de servir como uma moeda digital global. A sua finalidade é servir como remuneração para ações específicas que ocorrem no ambiente da plataforma Ethereum.

Dentro da rede Ethereum, é possível rodar aplicações descentralizadas que funcionam com autonomia por meio de smart contracts, ou contratos inteligentes. Basicamente, estes contratos garantem que, quando uma determinada condição é preenchida, a clausa correspondente à esta é executada.

Conheça o The DAO, uma implementação popular dos smart contracts

Como a mineração de ether impacta no preço

Uma das razões para o aumento constante no preço do bitcoin é a introdução progressivamente reduzida de novos bitcoins no mercado, que se dá através dos pagamentos realizados aos operadores dos computadores que processam as transações da rede bitcoin (mineradores). A mineração se dá através do sistema chamado Proof of Work (PoW), bastante exigente em capacidade de processamento.

A versão atual do Ethereum, chamada Homestead, também opera por meio de um protocolo PoW semelhante. Um novo bloco é criado a cada 15 segundos, que dá origem a 5 novos ETH. Os mineradores que contribuem descobrindo a solução do enigma usado na mineração, mas não conseguem incluir os blocos minerados, também recebem uma compensação, que varia de 2 a 3 ethers.

No entanto, os desenvolvedores já anunciaram que irão substituir o protocolo de mineração por outro mais eficiente, baseado no mecanismo de Proof of Stake. Essa mudança deve ocorrer com o lançamento da versão Casper, que deve acontecer entre o final de 2016 e início de 2017.

Com a introdução do Casper, essa taxa de criação de novos ethers provavelmente diminuirá. Uma das características mais impactantes do novo protocolo é que ele não permitirá a validação de novas transações a menos que os nodes empregados na mineração ofereçam um depósito de segurança. Caso o protocolo determine que um node produziu um bloco inválido, o node perderá tanto o depósito de segurança quanto a habilidade de participar no processo de consenso. Atualmente, não existe esta penalidade para a produção de blocos inválidos.

Ao mudar os incentivos da mineração, espera-se que o Casper seja mais eficiente que a versão atual. No entanto, a mudança de protocolo também pode significar que o valor do ether será ajustado levando em conta a nova realidade do funcionamento da rede Ethereum.

O fator volatilidade

Devido a estar ainda em sua infância, o Ether vem sofrendo flutuações enormes em seu preço. Em janeiro de 2016, era negociado a pouco menos de US$ 1. Na metade do mês de fevereiro, seu valor já ultrapassava os US$ 6, chegando a impressionantes US$ 15 na primeira metade do mês de março. Entre os meses de abril e maio, o preço se manteve relativamente estável, próximo dos US$ 8. Com o início das vendas dos Tokens DAO (outro projeto promissor baseado na plataforma Ethereum), que só podiam ser adquiridos por meio do envio de ether, levaram o preço novamente para a margem dos US$ 14.

Enquanto essas variações bruscas podem afastar investidores com maior aversão ao risco, certamente representam uma ótima oportunidade para traders. É possível adquirir ether por meio de moeda fiduciária quanto bitcoins, e algumas exchanges aceitam uma ampla variedade de outras criptomoedas. No Brasil, as grandes exchanges ainda não operam com ether, mas já foram dados indícios de que a moeda em breve será oferecida por aqui.

O quão segura é a rede Ethereum?

Com mais de 7 anos de desenvolvimento, a rede bitcoin é considerada pela maioria dos entusiastas de criptomoedas como sendo a blockchain mais segura. Foram poucos os problemas de segurança significativos levantados durante este tempo. Mesmo grandes empresas tem manifestado interesse nas várias aplicações em potencial permitidas pela tecnologia bitcoin.

Já o Ethereum tem enfrentado críticas mais duras, a maioria delas centradas no fato da curta existência da plataforma, lançada a menos de dois anos. Além disso, a rede Ethereum sofreu menos tentativas de ataque que o bitcoin, e consequentemente, passou por menos testes do que a sua antecessora.

No entanto, uma preocupação levantada quanto às duas moedas é a concentração excessiva do poder de mineração na mão de um grupo pequeno de indivíduos ou empresas.

Enquanto os dados da blockchain do bitcoin informam que apenas cinco empresas controlam cerca de 80% da capacidade de mineração, um mesmo número de empresas aparentemente exercem controle sobre 85% do poder de mineração da rede Ethereum.

Além disso, enquanto a maior empresa mineradora de bitcoin, a F2Pool, é responsável por cerca de 25% da hashrate da moeda, a maior mineradora de ether, a dwarfpool, controla aproximadamente 40% do poder de mineração da mesma.

Enquanto versões novas do Ethereum são lançadas pelos desenvolvedores, vários críticos preveem que o ether enfrentará problemas de segurança piores do que o bitcoin. Se eles estão certos ou não, somente o tempo dirá. O fato que não pode ser negado é que o Ethereum é um projeto incrível. Se ele será a solução definitiva para a popularização das blockchains, ainda é cedo para dizer. O mais importante é ele ter aberto as portas para o universo de possibilidades que a interação entre blockchains e contratos inteligentes representa.

1 COMENTÁRIO

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Por favor digite o seu nome